Oumuamua: afinal, o que se sabe sobre o objeto celeste misterioso?

Impressão artística de Oumuamua, primeiro objeto a entrar no Sistema Solar (Foto: European Southern Observatory)
 


Em outubro do ano passado, astrônomos do Pan-Starrs, projeto da Universidade do Havaí com o objetivo de mapear o céu em busca de objetos que possam entrar em colisão com a Terra, avistaram um objeto estranho. Com 800 metros de comprimento, largura dez vezes menor e superfície avermelhada, ele girava rapidamente, tinha uma trajetória caótica e um brilho que mudava de forma abrupta. Os cientistas deram a ele o nome de Oumuamua, que em havaiano quer dizer “mensageiro de muito longe que chega primeiro”.


As discussões sobre ele ficaram principalmente restritas ao universo científico, até esta terça-feira (6), quando pesquisadores da Universidade Harvard publicaram um estudo com uma tese de que Oumuamua seria uma sonda operacional enviada por uma civilização de outra galáxia. Isso mesmo: eles disseram que o objeto teria sido enviado por alienígenas.


O mundo, é claro, entrou em parafuso, e de repente todo mundo queria saber mais sobre o tal Oumuamua. Só no Brasil, as buscas no Google aumentaram mais de 1.550% em 24 horas e foi um dos cinco termos mais buscados no período. Eis as respostas para algumas das perguntas que os brasileiros fizeram ao oráculo da internet (e outras que gostaríamos de saber):


<strong>O que &eacute; Oumuamua?</strong><br />
Oumuamua n&atilde;o &eacute; um cometa, mas se comporta como um. Isso porque um cometa &eacute; um corpo celeste congelado que, quando aquecido pelo sol, desenvolve uma atmosfera e uma &ldquo;cauda&rdquo; de uma material vol&aacute;til vaporizado. &Agrave; primeira vista, os cientistas acharam que ele era um cometa, mas sem encontrar a tal da cauda, eles supuseram que se tratava de um aster&oacute;ide. No entanto, sempre que acelera, uma cauda pode ocorrer, embora n&atilde;o seja vis&iacute;vel dos telesc&oacute;pios.


<em>Leia tamb&eacute;m:</em><br />
<a href="https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2018/11/astronomos-detectam-uma-das-estrelas-mais-antigas-do-universo.html" target="_blank">+ Astr&ocirc;nomos detectam uma das estrelas mais antigas do Universo</a><br />
<a href="https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/Espaco/noticia/2018/11/carro-lancado-por-foguete-em-fevereiro-ja-esta-alem-de-marte.html" target="_blank">+ Carro lan&ccedil;ado por foguete em fevereiro j&aacute; est&aacute; al&eacute;m de Marte</a>


<strong>O que significa Oumuamua?</strong><br />
Como explicamos acima, Oumuamua significa &ldquo;mensageiro de muito longe que chega primeiro&rdquo; em havaiano. E ele de fato veio de muito longe: por causa da alta velocidade (87,3 km/s), ele veio de fora do Sistema Solar.
Outro projeto artístico sobre Oumuamua (Foto: European Southern Observatory)
&nbsp;


<strong>Onde est&aacute; o Oumuamua?</strong><br />
Desde janeiro de 2018, o Oumuamua n&atilde;o &eacute; mais vis&iacute;vel por telesc&oacute;pios, mesmo no espa&ccedil;o.


<strong>Que tamanho tem o Oumuamua?</strong><br />
Ele tem 800 metros de comprimento e largura pelo menos dez vezes menor. Embora seja imposs&iacute;vel tirar uma foto de perto do Oumuamua, a varia&ccedil;&atilde;o dr&aacute;stica em seu brilho sugere que ele &eacute; alongado. Astr&ocirc;nomos afirmam nunca ter visto objeto t&atilde;o grande no Sistema Solar antes. Estima-se que ele complete uma rota&ccedil;&atilde;o completa a cada 7,3 horas.


<strong>Do que ele &eacute; feito?</strong><br />
N&atilde;o se sabe ao certo. Cometas t&ecirc;m muita poeira, mas n&atilde;o &eacute; o caso do Oumuamua. Gases como mon&oacute;xido de carbono e di&oacute;xido de carbono talvez estejam na composi&ccedil;&atilde;o, pois t&ecirc;m menos probabilidade de produzir uma cauda vis&iacute;vel.


<strong>De onde ele veio?</strong><br />
Tamb&eacute;m n&atilde;o se sabe, embora seja certo de que ele ele n&atilde;o &eacute; do nosso sistema. Porque a sua velocidade &eacute; pr&oacute;xima da velocidade m&eacute;dia de estrelas pr&oacute;ximas &agrave;s nossas, e porque a velocidade de estrelas mais jovens s&atilde;o mais est&aacute;veis que a das mais velhas, o Oumuamua pode ter vindo de um sistema jovem. Mas tudo n&atilde;o passa de uma suposi&ccedil;&atilde;o, e o objeto pode estar viajando pela gal&aacute;xia por bilh&otilde;es de anos.
Trajetória do Oumuamua no Sistema Solar (Foto: ESA)
&nbsp;


<strong>E, afinal, &eacute; alien&iacute;gena ou n&atilde;o?</strong><br />
No <a href="https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2018/11/objeto-que-entrou-no-sistema-solar-nao-e-alienigena-dizem-cientistas.html" target="_blank">estudo publicado na revista <em>Astrophysical Journal Letters</em></a>, os astr&ocirc;nomos Shmuel Bialy e Abraham Loeb escrevem que &ldquo;considerando uma origem artificial, uma possibilidade &eacute; a de que o Oumuamua seja um veleiro flutuando no espa&ccedil;o interestelar como um res&iacute;duo de um equipamento tecnol&oacute;gico avan&ccedil;ado&rdquo;. Para eles, a explica&ccedil;&atilde;o para o excesso de acelera&ccedil;&atilde;o do Oumuamua seria a de que ele &eacute; &ldquo;empurrado&rdquo; pela radia&ccedil;&atilde;o solar, comparando-o &agrave;s velas solares criadas por nossa pr&oacute;pria civiliza&ccedil;&atilde;o &mdash; como a IKAROS, primeira sonda interplanet&aacute;ria impulsionada por uma vela solar, lan&ccedil;ada pelo Jap&atilde;o em 2010 com destino a V&ecirc;nus.


A comunidade cient&iacute;fica, por&eacute;m, <a href="https://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2018/11/objeto-que-entrou-no-sistema-solar-nao-e-alienigena-dizem-cientistas.html" target="_blank">n&atilde;o est&aacute; com os pesquisadores</a>. Entre as cr&iacute;ticas, est&aacute; a de que se o objeto fosse de fato uma vela solar, seria mais fino do que de fato &eacute;. E, se fosse uma nave em funcionamento, teria trajet&oacute;ria mais suave.


A d&uacute;vida fica no ar, j&aacute; que sem mais dados sobre Oumuamua fica dif&iacute;cil afirmar com certeza o que ele &eacute; (e quais eram suas inten&ccedil;&otilde;es).


<em>Curte o conte&uacute;do da GALILEU? Tem mais de onde ele veio: <a href="https://www.globomais.com.br/?linkInteligente=true#home-downloads-app" target="_blank">baixe o app da Globo Mais</a> para ver reportagens exclusivas e ficar por dentro de todas as publica&ccedil;&otilde;es da Editora Globo. Voc&ecirc; tamb&eacute;m pode <a href="https://www.assineglobo.com.br/produtos/galileu/GC/?site_par=1&amp;origem_par=1&amp;formato_par=GC_MENSAL&amp;versao_par=CAPA&amp;utm_source=capa&amp;utm_medium=site&amp;utm_campaign=gc_mensal&amp;utm_content=capa:site:gc_mensal:capa&amp;utm_term=capa" target="_blank">assinar a revista</a>, por R$ 4,90 e baixar o app da GALILEU.</em>

Deixe uma resposta