No México, UNICEF oferece atendimento psicológico para crianças da caravana de migrantes

Serviços de apoio psicossocial incluem atividades recreativas para as crianças da caravana de migrantes. Foto: UNICEF México

Serviços de apoio psicossocial incluem atividades recreativas para as crianças da caravana de migrantes. Foto: UNICEF México

No México, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) afirmou nesta semana (5) que ampliou o atendimento psicossocial para crianças e adolescentes da caravana de migrantes. Até o final de outubro, a agência da ONU estimava que mais de 9,3 mil pessoas haviam cruzado a fronteira da Guatemala com o território mexicano. Desse grupo, mais de 2,3 mil eram meninos e meninas.

Essas crianças estão passando por uma crise humanitária, disse o organismo internacional. Paralelamente às ações de higiene, saneamento e instalação de latrinas móveis, a organização está oferecendo serviços de apoio psicológico, com atividades como contação de histórias, exercícios de relaxamento emocional e desenho.

Atualmente, esse trabalho se concentra na fronteira sul do México e no estádio Jesús Martínez “Palillo”, na Cidade do México, onde parte considerável dos migrantes está se reunindo.

Segundo o UNICEF, o apoio psicossocial ajuda a mitigar o impacto de ter de deixar sua casa e se mudar repentinamente, em condições que estão testando a integridade física e emocional de adultos e, mais ainda, dos jovens. Meninos e meninas passaram muitos dias caminhando debaixo do sol, desidratadas e, em alguns casos, doentes.

De acordo com a agência da ONU, a incerteza e o estresse dos pais, somados às condições da viagem e às experiências anteriores de violência, têm efeitos negativos sobre a saúde mental das crianças e adolescentes. Se essas consequências não receberem a devida atenção, podem se transformar em traumas complexos.

O nível de angústia e estresse se reflete no fato de que algumas crianças não querem se separar da mãe ou do pai. Esses jovens têm dificuldade em participar das atividades lúdicas que o UNICEF organiza nas tendas do estádio “Palillo” e em outros pontos ao longo do percurso da caravana. Equipes do fundo da ONU relatam que eles sempre perguntam se “a violência acabou”. Alguns preferem voltar para perto do seu responsável, em vez de brincar com outras crianças.

A caravana chegou à Cidade do México mais cedo do que o previsto, em meio a chuvas frequentes e temperaturas cada vez mais baixas. Em coordenação com atores governamentais e a sociedade civil, a equipe do UNICEF está instalando espaços de cuidado para brincadeiras e descanso, bem como para o aleitamento materno. A agência das Nações Unidas também está pronta para oferecer serviços de proteção social, com o intuito de identificar casos de violência ou de crianças viajando sem um adulto.

O trabalho do organismo internacional é apoiado por mais de 50 mil doadores individuais regulares no México. O UNICEF convida o público a se solidarizar com crianças e adolescentes migrantes, apoiando todos os esforços para garantir sua proteção e o cumprimento de seus direitos, qualquer que seja sua condição migratória.

Em parceria com organizações da sociedade civil e autoridades locais, o UNICEF também instalou sistemas de água potável em paradas do trajeto da caravana, onde os migrantes pernoitam. A instituição forneceu produtos de higiene e instalou latrinas e chuveiros separados para crianças e adultos.

Deixe uma resposta